Impossível não te procurar em mim

busco-te nos componentes do meu sistema,
nas harmonias e vias da minha anatomia,
nos adereços e endereços da minha beleza

busco-te nas veias do meu coração,
nas tendências fetais e atuais dos meus anseios,
nos roubos e arroubos das minhas quimeras

busco-te nas vísceras do meu pranto,
nas entranhas estranhas do meu paraíso,
nos rogos e fogos das minhas orações

busco-te nas secreções do meu labirinto,
nos hormônios binômios dos meus desejos,
na produção e liberação das minhas indigências

busco-te nos excrementos do meu pensamento,
nos cantos encantos das minhas ilusões,
nas ações e proscrições dos meus venenos

busco-te nas linfas e tecidos da minha perdição,
nos ruídos fluídos do meu pranto,
nas bisonhas e medonhas vias do meu coração

busco-te nos estímulos dos meus músculos,
nos raptos inaptos dos meus prazeres,
nos deslizamentos cruentos das minhas contradições

busco-te nas captações dos meus neurônios,
nas manhas barganhas dos meus desafios,
nas repulsões e compreensões dos meus impulsos

busco-te na concupiscência das minhas ereções,
nas meninas meninos das minhas fantasias,
nos vampiros e suspiros dos meus temores

busco-te nos ares das minhas inalações
nas correntes assentes da minha pornografia,
nos casticismos e cinismos dos meus pretextos

busco-te nas cartilagens dos meus ossos,
nos rígidos e hígidos arcabouços da minha essência,
nas sustentações e proteções dos meus caminhos

busco-te nas terminações dos meus sentidos,
nas ordens e desordens dos meus estímulos,
nos pulcros sepulcros dos meus significados.

busco-te nas interrelações do meu corpo,
nas dependências e pendências da minh'alma,
nos bruxedos e brinquedos dos meus sonhos

busco-te, enfim, em cada uma das minhas veleidades,
nos êxtases e ênfases da minha inspiração,
nos domínios e fascínios de todos os meus ais.

encontro-te em mim,
mas não me encontro em ti...


Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Rio de Janeiro, 21 de março de 2009 – 19h39

Oblivion of Violinist Chee-Yun

Exibições: 371

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Armando Augusto Coelho Garcia em 20 março 2017 às 10:16

Vemos que sua inspiração a inspira na busca que rebusca o âmago de cada ser, onde o sentimento sentido jorra com impeto e flui com facilidade excepcional,

Parabéns Poetisa Silvia.

Abraços poéticos.

Armando A. C. Garcia

Comentário de Sandra Leone em 20 março 2017 às 2:54

Lindo poema, onde há uma busca incessante...Perfeito. Parabéns poetisa Silvia

"busco-te nas interrelações do meu corpo,
nas dependências e pendências da minh'alma,
nos bruxedos e brinquedos dos meus sonhos"

Comentário de Etelvina Gonçalves da Costa em 25 fevereiro 2017 às 18:26

A eterna busca do ser humano ..poema.belíssimo, musical ,cadenciado ,exótico, a essência a brotar em cada verso ..muito completo e, se mais há a dizer  nessa busca incessante está no sentimento do poeta.. Destaco

busco-te, enfim, em cada uma das minhas veleidades,
nos êxtases e ênfases da minha inspiração,
nos domínios e fascínios de todos os meus ais.

encontro-te em mim,
mas não me encontro em ti...

 Parabéns querida e ilustríssima escritora e poeta  Um beijo 

 

Comentário de VÓNY FERREIRA em 4 fevereiro 2017 às 10:12

Um poema envolvente

musical

belo

do qual destaco: "...busco-te nas vísceras do meu pranto,
nas entranhas estranhas do meu paraíso,
nos rogos e fogos das minhas orações..." Abraço enorme Poetisa amiga.

Vóny

Comentário de Dione Fonseca de Barros em 26 janeiro 2017 às 13:39

Lindo Buscar
e achar.Mas sem ecoar dentro é triste
Bjus , amei

Comentário de Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Sílvia Mota Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ em 26 janeiro 2017 às 13:14
Comentário de Antonio Domingos Ferreira Filho em 25 janeiro 2017 às 19:38
Belíssima poesia.Profunda e forte.Criatividade advinda de muita inspiração.Um encanto.
Parabéns estimada Sílvia.
Comentário de Nilson da Cunha Gonçalves em 25 janeiro 2017 às 11:14

O perplexo adnexo de meu sentimento se queda em profunda admiração. Sonhei adejei nas dunas suaves de teus versos. LINDO!!!

Comentário de Dulce de Souza Leao Barros em 25 janeiro 2017 às 0:47
O sono tirou minha concentração e cochilei na mensagem acima. Bem, fiquei encantada com as buscas insensate do seu lindo poema. Parabéns!
Comentário de Dulce de Souza Leao Barros em 25 janeiro 2017 às 0:41
Fiquei encantada com essa busca insenhfff DF f

Membros

Poema ao acaso...

Portal para 38 Blogs-Sílvia Mota

Badge

Carregando...