*** *** *** ***

O Sol boceja por entre as Nuvens cinzentas, que vestindo os Céus, deixam à mostra sua gravidez. Aos sons dos Trovões, que com lirismo, parecem ser dos Céus os gemidos... -

Nascem as Chuvas!
*
O Cinza dos Céus ora plleno de Gotas da Chuva se torna cristalino. A Brisa Suave, ao Cosmos ora, Todo acaricia...

- Nasce a Poesia!!
*
A mesma Poesia, nesse instante nascitura, engravidada pela Paixão se vê em expansão, que resultará em partos incessantes nas Noites e Dias, d'onde nascerão aos MultiVersos, milhões de Poesias.
*
Mas... - Muito ao contrário do que se imagina, a Voz do Tempo, que a tudo assiste deixa bem claro, que não é do Poeta que nasce a Poesia, e assim completa:
*
- É da Poesia que nasce o Poeta!!!
*
*
*
Abrem-se as Cortinas do Teatro dos Céus, e em Apotheósis sem precedentes...

Ah... - As Sombras das Almas, se mostram concretas e não mais Transparentes!!!!
*** * ***
22o12o18 - 11:10AMBR - gaDs
*** *** *** ***

Z K

Exibições: 33

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Neuza de Brito Carneiro em 25 janeiro 2018 às 0:00

Interessante!

Comentário de MARGARIDA MARIA MADRUGA em 22 janeiro 2018 às 19:08

Que coisa mais bela!

É da imagem que nasce a criadora?

Comentário de Elías Antonio Almada em 22 janeiro 2018 às 16:09

Comentário de Zeca Feliz Avelar em 22 janeiro 2018 às 14:41

Membros

Designers PEAPAZ

*Sílvia Mota*

*Margarida*

*Nara Pamplona

*Livita*

*Imelda*

*Toninho*

Poema ao acaso...

Visitantes

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço