Sou-te sereia, mas não me vês... [Soneto Alexandrino Sensual]


 
Sou-te sereia, mas não me vês...
Senhor, sereia sou, mistério incontroverso,
exibo-me quimera, arranco-te queixumes.
Ao embalo deste mar – fullgás – sou teu reverso,
a dor que não se esconde – um verso em mil perfumes.
Revelo-te em meu corpo as vidas do Universo,
beleza transcendente, arfar de vis ciúmes.
Ao embalo deste mar – fugaz – um corpo emerso,
resvalo ao teu olhar – não brilhas aos meus lumes.
E canto e canto e canto! Excelsa em tom ardente!
Rastejo ao teu mistério e louca em ti delinquo
ao verso, numa estrofe, em mim tudo é cadente!
De que valho em paixão? Em ti nem sou sagrada!
Ao vento do arrebol meu canto tão longínquo
é sonho, é ária, é luz, é sombra, é dor, é nada...

Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Cabo Frio, 24 de março de 2010 – 16h34

Fundo musical: Ernesto Cortazar. Dying of love

Exibições: 350

Comentar

Você precisa ser um membro de Poetas e Escritores do Amor e da Paz para adicionar comentários!

Entrar em Poetas e Escritores do Amor e da Paz

Comentário de Etelvina Gonçalves da Costa em 15 dezembro 2017 às 20:38

Lindíssimo este soneto achei uma maravilha perfeito Sou-te sereia mas não me vès De que valho em paixão? Em ti nem sou sagrada!
Ao vento do arrebol meu canto tão longínquo
é sonho, é ária, é luz, é sombra, é dor, é nada... destaquei esta parte mas todo ele é belo .... parabéns silvia ....beijinhos

Comentário de Etelvina Gonçalves da Costa em 15 dezembro 2017 às 20:32

.

Comentário de Nieves Merino Guerra em 24 abril 2017 às 14:29

La imagen puede contener: texto

Comentário de Sílvia Mota em 6 abril 2017 às 0:28

Querida Lufague...

Sempre é uma honra receber-te nos meus versos.

Beijosssssss

Comentário de Sílvia Mota em 6 abril 2017 às 0:27

Querida Malu...

Feliz, pela leitura e observações realizadas.

Beijossssssssssssss

Comentário de LUCIA GUEDES (Lufague) em 2 abril 2017 às 2:41

A sereia canta o amor na perfeição da poética melodia! Muito lindo! 

Comentário de Malu Silva em 1 abril 2017 às 19:40

Essa métrica toda sonora e perfeita é vista, hoje em dia, em raros lugares.

Escansão dos versos, procura pela divisão correta e palavras certeiras, hoje em dia, poucos conhecem.

Adorável, Sílvia!!!

Comentário de Sílvia Mota em 4 junho 2015 às 18:11

Querida Marcia Portella, tua palavra, para mim, é ouro. Muito obrigada! Beijossssssssss

Comentário de Marcia Portella em 3 maio 2015 às 14:59

Silvia,seus sonetos são  sonhos tecidos em fios de paixão...

'Rastejo ao teu mistério e louca em ti delinquo'

                                                        

Comentário de Sílvia Mota em 3 maio 2015 às 14:23

Querido Poeta Geraldo,

Tuas palavras enlevam meu espírito!

Muito obrigada.

Beijossssssssss

Mauro M. Santos

Graça Campos

Carlos Saraiva

José Santiago

Lilian Reinhardt Art

De Luna Freire

Visitantes

Liv Traffic Stats

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço